25 de novembro de 2011

Diga adeus e atravesse a rua

Vejo-te assim: branco, reluzente, eterno, distante.
E a vontade de me aninhar em teus braços se faz presente.
A saudade dos teus carinhos e cafunés atormenta o peito.
O doce dos teus lábios retorna à mente.
A dureza das tuas palavras destrói tudo o que o coração tenta buscar.
O áspero de tuas atitudes leva tudo embora. Até mesmo o sentimento que insiste em perdurar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário